Texas Flood

SRV Texas Flood book

Stevie Ray Vaughan foi um daqueles raros artistas que já nascem com o dom que alguns outros tentam adquirir no decorrer da vida, com estudo e dedicação, e muitas vezes sem o mesmo sucesso!

Desde cedo já se destacava dentro do blues, deixando muitos mestres como Buddy Guy, Albert King, B.B. King, Eric Clapton, etc. de queixo caído! O fato do seu irmão mais velho (Jimmie Vaughan) já se apresentar em bares quando Stevie ainda era adolescente facilitou para que ele entrasse/tocasse nesses lugares, e tivesse contato com muitas lendas do estilo.

Infelizmente, meu primeiro contato com sua música foi depois de ver a notícia da sua morte num trágico acidente de helicóptero (agosto de 1990) – detalhe: ele decidiu ir naquele helicóptero em cima da hora, depois de ser avisado que um lugar tinha ficado vago. Fico imaginando quanto mais Stevie teria pra nos oferecer se não tivesse morrido tão cedo – tinha 35 anos. Menos mal que temos um farto material oficial (e uma infinidade de bootlegs de shows) para nos manter saciados enquanto aguardamos o aparecimento de alguém tão bom quanto ele para tentar compensar a perda.

(Imagem: Paul Natkin/Getty Images)

Não existia Stevie sem o blues e sem a guitarra – essa é a única forma de descrever sua relação com o estilo e com o instrumento. Quando tocava, as três coisas se tornavam uma só! Sem nunca ter estudado música e sem saber ler partituras, seu talento era natural e num nível de excelência quase que impossível de se alcançar. É difícil imaginá-lo sem a sua famosa guitarra number one (uma Fender 1959 toda mexida). Lenny, sua primeira esposa, disse que acordava as vezes durante a noite com Stevie dormindo mas com as mãos se movimentando como se estivesse tocando a guitarra – nem dormindo ele parava de tocar 🙂

Texas Flood, além do nome do seu primeiro trabalho oficial com a Double Trouble, é o nome desse livro e também de uma das músicas que, apesar de não ser de sua autoria, ficou consagrada na sua interpretação!

O livro é bem diferente de outros que já li sobre ele, pois descreve Stevie através da visão de diversas pessoas próximas que acompanharam sua vida/carreira, ou que dividiram o palco com ele: seu irmão Jimmie, Tommy Shannon + Reese Waynes + Chris Layton (Double Trouble) e de muitos outros artistas como Buddy Guy, Eric Johnson, Joe Perry, B.B. King, etc. Ou seja, o livro foge do modelo tradicional de biografia, mas segue uma linha de tempo consistente, retratando cada uma das fases através de depoimentos de quem as viveu junto com ele. E nada passa batido, inclusive a fase mais difícil onde (pra variar) o consumo de drogas e álcool quase o matou!

Para quem toca guitarra, gosta de blues ou simplesmente ama a música, é uma ótima fonte de informação pra conhecer melhor um dos maiores ícones do estilo! Infelizmente não temos uma edição em português, mas você pode comprar a versão em inglês facilmente pela Amazon, tanto em formato digital ou em papel.

Share and Enjoy !

0

SRV: Day by Day, Night After Night – His Final Years, 1983-1990 [review]

srv-livroImperdível, para qualquer fã de Stevie Ray Vaughan!

Stevie foi um grande guitarrista, talvez o melhor, que já passou pelo mundo do Blues!

A vida é cheia de fatos curiosos e inexplicáveis: nunca tinha ouvido falar de Stevie até que vi a notícia sobre sua morte na TV. Lembro até hoje da notícia dada no Jornal Nacional que, por algum motivo que desconheço, ficou marcada na minha memória. Tempos depois, tive meu primeiro contato com a música de Stevie, e a partir de então, me tornei um fã e admirador do seu trabalho.

Ouvir e ver Stevie tocar é a confirmação de que existem pessoas que simplesmente nascem com o dom da música em suas almas, e ele com certeza era uma delas. A guitarra tornou-se uma extensão do seu próprio corpo. Enquanto tocava, eram uma coisa só. Sua paixão pela música e pelo instrumento era expelida em cada nota que saía de sua guitarra!

O livro é escrito de forma curiosa, mas que funcionou muito bem: seguindo uma sequência cronológica, ele lista praticamente tudo que já se falou, publicou ou se exibiu sobre Stevie, datas de apresentações, set lists, etc,  intercalando essas informações com depoimentos da época, dados por amigos, companheiros de banda, músicos e familiares e muitas, mas muitas fotos!

Cobre também a fase onde Stevie quase morreu devido ao abuso de álcool e drogas, e como conseguiu superar tudo isso e ficar limpo até o final da vida.

As páginas que tratam do acidente que matou Stevie, com detalhes e depoimentos de pessoas que estavam com ele minutos antes do ocorrido, são de pura emoção! Pode-se sentir a aflição, a tristeza e o choque da notícia em cada uma das narrativas.

Stevie era um artista que chegou no topo, mas que não deixou o sucesso subir a cabeça. Ficava puto quando colocavam seus ídolos pra abrir seus shows, demonstrando o respeito e a admiração que tinha por aqueles que o influenciaram.

Até hoje, ninguém conseguiu chegar perto do seu talento. Eric Clapton disse que se sentiu “envergonhado” diversas vezes por sua habilidade “limitada”, após assistir Stevie se apresentando.

O livro é nota 10 e deveria fazer parte da estante de todo fã! Infelizmente, ainda não há uma versão em português. Se você lê inglês, pode comprá-lo direto na Amazon. Se não lê mas é fã, vale a pena somente pelas fotos que contém! A qualidade é excelente como pouco se vê nos livros de hoje em dia: capa dura, totalmente colorido, impresso em papel couche.

Share and Enjoy !

0