Experiência pós-venda Dell

иконографияикониRecentemente, adquiri um notebook da Dell, modelo Vostro 3450. Comprei via internet, pelo site da própria Dell, que permite inclusive configurar algumas opções da máquina. Como eu já tinha licenças oficiais do Windows 7 Professional, e também do antivirus que uso, tentei, em vão, remover esses produtos da configuração do computador, mas o site simplesmente não permite removê-los (se tentar comprar pelo telefone, o atendente também lhe dirá que não pode removê-los). Além disso, o site também “incluiu por conta própria” uma mochila no pedido (outro item do qual não necessito).

Nada contra a adição “espontânea” de itens, desde que os mesmos sejam verdadeiramente brindes, ou seja, não fossem cobrados. Mas não é esse o caso! Os itens fazem parte do preço total do pedido, inclusive vêm discriminados individualmente na nota fiscal, com seus respectivos valores.

Inconformado com a situação, afinal, porque me obrigam a comprar coisas que eu já tenho e/ou não preciso, e após ter lido um post do Marco Cantu, onde ele diz ter conseguido resolver um problema escrevendo diretamente para o “dono” da empresa (Michael Dell), resolvi arriscar, e enviei um email para o “chefão”, dizendo que o que eles estavam fazendo era contra a lei Brasileira (como todos devem saber, isso é venda casada).

Qual foi minha surpresa que, após alguns dias, recebi um contato telefônico de alguém da Dell Brasil, oferecendo estornar os valores do Windows, do antivírus, e da mochila (essa última, por sinal, nem cheguei a receber, visto que a carga foi sinistrada). Obviamente, aceitei o estorno, não esquecendo de mencionar, mais uma vez, que o site deveria permitir a remoção dos itens já durante o processo de compra, evitando transtorno e trabalho desnecessário. Alguns dias depois, o estorno foi lançado na fatura do meu cartão! Com isso, foram mais de R$ 200 economizados!

Depois do problema que enfrentei após a compra do meu primeiro Vostro (referente ao suporte na troca de um drive de DVD), confeço que esperava mais dor de cabeça para resolver essa questão, mas foi tudo tranqüilo e a coisa toda correu de forma eficiente e ágil. Talvez pelo fato de ter contatado diretamente o “alto escalão” ao invés de me submeter aos atendentes do callcenter (que provavelmente iriam me dar um “chá de telefone”), ou talvez porque o pós-venda da Dell tenha melhorado bastante.

Outro ponto positivo vai para a entrega do equipamento. A previsão era para cerca de 10 dias, o que pra mim estava perfeito, visto que eu iria ficar a semana seguinte fora de casa, de férias. No entanto, no domingo, véspera de viagem e apenas 3 dias após a compra, recebi um email da Dell dizendo que o computador já estava com a transportadora, e seria entregue em 2 dias. Toca ligar para o 0800, falando já da fila do checkin no aeroporto, e explicar que não haveria ninguém naquele endereço para receber o produto. Expliquei que, se fosse possível, eu poderia passar o telefone do meu pai, e que a transportadora poderia ligar para ele no momento da entrega, para que ele fosse até o local para receber o equipamento. No fim das contas, aconteceu algo ainda melhor: a transportadora ligou para ele, e entregou direto na casa dele!

Com isso, dessa vez tive uma ótima experiência de pós-venda com a Dell! Espero que continue assim, bem como espero que alterem o sistema de venda on-line, a fim de permitir a remoção dos itens não desejados.

O brasileiro tem que começar a fazer valer seus direitos!

 

 

Rad Studio XE2 vem aí!

A Embarcadero, atual “dona” do Delphi, começou a anunciar as novidades da próxima versão do Rad Studio, e também uma turnê mundial de apresentação do novo produto, que passará por algumas cidades do Brasil.

Entre as novidades, está o tão aguardado (pelo menos por alguns) suporte a 64bits (o Delphi poderá compilar aplicações para rodar em 64bits no Windows), além da possibilidade de criar aplicações nativas tanto para Windows como para MacOSX! Os controles VCL aparentemente também foram “modernizados” com a possibilidade de se utilizar “temas” a fim de alterar a aparência dos mesmos.

Uma nova tecnologia, chamada de FireMonkey, possibilitará a criação de aplicações gráficas, aproveitando os recursos de GPUs, possibilitando o uso de efeitos de transição, etc, em HD e 3D.

Apesar de não fornecer detalhes, o RadPHP (antigo Delphi for PHP) aparentemente vai possibilitar o desenvolvimento de aplicações para iOS e Android.

Após uma quase “morte” (enquanto estava nas mãos da falecida Borland), é muito bom ver que a Embarcadero está investindo e modernizando o produto, inserindo novos recursos e tecnologias e atendendo alguns anseios dos desenvolvedores.

Não esqueça de se cadastrar para concorrer a 3 cópias do Rad Studio.