Análise das capas do Iron Maiden

Bastante interessante o artigo científico “When two worlds collide: representações do real e monstruosidades fantásticas no conjunto simbólico das capas de álbuns e singles da banda Iron Maiden“, de autoria do historiador Rodrigo Medina Zagni (professor do curso de Ciências Sociais da Universidade Cruzeiro do Sul e pesquisador do Laboratório de Estudos sobre a Intolerância da Universidade de São Paulo), no quarto número da revista Domínios da Imagem, do Laboratório de Estudos dos Domínios da Imagem na História (LEDI) da Universidade Estadual de Londrina.

O artigo está também disponível em formato digital (PDF), e traz diversas informações interessantes, principalmente para os fãs do Maiden, referente a análise das capas dos CDs e Singles da banda, sob diferentes aspectos, e o relacionamento delas com o momento em que foram publicadas.

Yamaha Midnight Star – Brasil é o fim da picada, mesmo!

Cada vez mais me deparo com novas constatações de que o Brasil é o país dos “trouxas” mesmo! Ganhamos menos do que qualquer profissional similar dos países de “1º mundo”, e pagamos o dobro (ou até mais) para ter as mesmas coisas!

Veja, por exemplo, o preço dos carros nos EUA. Mesmo antes da crise, pelo mesmo preço que pagamos aqui por um “pé de boi”, se comprava um carro de luxo por lá, com tudo que tinha direito (ar condicionado, computador de bordo, etc).

Agora veja o caso da Yamaha Midnight Star, lançamento aqui no Brasil, mas que já existe há algum tempo lá fora: Preço sugerido no Brasil = algo em torno de R$ 36.000. Preço lá fora (da mesma moto): USD 8.500 = R$ 17.000, ou seja, ganhamos menos, mas pagamos mais que o dobro!

A culpa: impostos exorbitantes!

O que é preciso para interromper essa afronta à “moralidade”? O governo, obviamente, não quer baixar os impostos, porque diz precisar do dinheiro e está sempre no vermelho. Mas no vermelho porque? Não seria pela pouca vergonha da roubalheira descarada, desvios de verbas, festa das passagens aéreas, etc… tudo isso que vemos todo o dia na TV, e que fingimos que não nos afeta? Não seria pelo inchaço da máquina pública, cheia de parasitas incompetentes que fazem seu servicinho muito mal feito, com estabilidade de emprego, e com um bom contra-cheque no final do mês?

O brasileiro precisa acordar, e começar a enxergar o que ele paga de impostos camuflados nos preços dos produtos. Porque nenhum político cria uma lei que obrigue os produtos a trazerem junto com o preço, o detalhamento dos valores dos impostos que estão embutidos ali? Ahh, talvez não seja do interesse deles, né? Afinal, nesse país, quase sempre tem algum esquema pra beneficiar certos nichos… e o povo que se f***.

Será que um dia isso muda? Se acontecer, provavelmente não estarei mais aqui pra ver…

O que esperar do Delphi nos próximos anos?

Segue um resumo, extraído do artigo do Marco Cantu, disponível da edição especial da Blaze Pascal:

Project Weaver (próxima versão do Delphi, já em beta)

  • Main Themes
  • User Experience
  • Enhance Connectivity
  • Documentation
  • IDE usability
  • Team Productivity
  • Touch
  • IDE – Insight (easy Keyboard access to almost everything)
  • Improvements to DataSnap
  • Firebird Support
  • .NET AOP
  • SCM Support
  • Enhanced RTTI Support
  • Attribute Support
  • Seamless .NET and Native communication
  • Windows 7 APIs and Direct 2D
  • Full Support of SOAP 1.2 Clients

Project X

  • Cross-platform Windows, Mac OS, and Linux
  • composite triple beatCross-platform component library
  • DataSnap on all platforms

Project Chromium

  • Quality enhancements
  • Pascal Code Formatter
  • Documentation of the OTA
  • New Data binding model allowing binding to almost any property on a control
  • More integration with the database tools.

Project Commodore

  • 64 Bit native
  • Full compiler, RTL and VCL support for 64 native
  • Multi-Core. Multi-threaded applications.

NF-e + Speedy com zica… ferrou…

Mais uma vez os usuários do serviço de banda larga Speedy (seria Slowly???) , da nossa queriiiiddaaa Telefônica, estão sofrendo com problemas de acesso a Internet. O pior é que muitas empresas usam o Speedy como única fonte de conexão com a rede mundial, e várias dessas empresas já estão operando com a Nota Fiscal Eletrônica, onde para emitir uma NF, você deve antes autoriza-la diretamente nos WebServices da Receita Federal.

Mas e se a sua conexão com a Internet estiver bichada? Ou se a conexão da Receita estiver bichada? Ou se deu pau nos webservices? Arrgggghhhhh.

Calma! Para isso, existe o regime de contingência, que pode operar em diferentes modos. O mais adequado numa situação de caos, é usar os formulários de segurança para emitir as notas. Esses formulários devem ser adquiridos pelas empresas, e só são utilizados em situações adversas onde a emissão pelo modo normal (ou pelos outros modos de contigência) não puder ser efetuada.

A questão é que, no melhor estilo “Murphy”, várias empresas não compraram os formulários, e agora estão sem conseguir faturar! Isso que dá confiar em tecnologia no Brasil… cadê a tão falada redundância de links?

1 2