Review – Cavalera Conspiracy e Iron Maiden (26/03/11 – SP)

Cavalera Conspiracy

A banda, formada logo depois que Igor saiu do Sepultura e voltou a falar com seu irmão (e também ex-Sepultura, Max Cavalera), já tinha tocado no Brasil no SWU, e fez sua segunda apresentação por aqui abrindo para o Iron Maiden, em SP.

Gosto bastante do primeiro CD do Cavalera Conspiracy. O segundo está pra sair, mas isso não os impediu de tocarem várias músicas dele durante o show, e também algumas antigas do Sepultura.

Infelizmente, o show, para mim, foi uma decepção. A julgar pelo entusiasmo (ou melhor, pela falta dele) do pessoal que estava ao meu redor, acredito que muitos também tiveram essa mesma impressão.

Como ninguém conhecia as músicas novas, que alias, tinham diversas “frescuras” sampleadas, provavelmente coisa do Igor, que agora se diverte também com música eletrônica (blaahhh), pouca gente agitou. As do primeiro CD surtiram melhor efeito, e as do Sepultura, como já era de se esperar, foi as que conseguiram levantar mais gente.

Achei a presença de palco da banda fraca. Parece que Max, depois de ficar mais de 10 anos sem vir ao Brasil, perdeu bastante a intimidade com o público Brasileiro. Em alguns momentos, parecia até que ele não sabia mais o jeito “certo” de se “comunicar” com o público em português, como quando pediu pro pessoal levar as mãos, no melhor estilo “show da Xuxa” (#fail).

O som, bastante embolado, também não ajudou. Muitas vezes era difícil distinguir os instrumentos, ou “entender” o que Max cantava. Na primeira música, mal se ouvia as guitarras.

Por mais que o pessoal “malhe” o Sepultura atual, e peçam a volta dos irmãos Cavalera para o grupo, acredito que o show do Sepultura atual dá de dez a zero no do CV, especialmente pela presença de palco do Andreas e do Dereck.

Iron Maiden

Ir à um show do Iron Maiden e se decepcionar, é uma coisa com probabilidade de 0,0000001% de acontecer. A banda tem experiência de sobra, Bruce é um frontman único, e a quantidade de clássicos existentes, fazem com que qualquer show deles “ponha a casa abaixo”! Dessa vez não foi diferente! Obviamente, depois de uma turnê como foi a “Somewhere back in time”, só com clássicos da era “Live After Death”, seria muito difícil fazer algo melhor, ou que deixasse o público tão satisfeito!

O set list dessa turnê podia ser melhor, mas isso é uma coisa que você sempre vai ouvir, em qualquer turnê do Maiden, pois o número de clássicos é tão grande, que dificilmente alguém não vai falar: “putz, faltou essa, faltou aquela… podia ter trocado essa por aquela, etc…”.

Anyway, o show foi fantástico, como todos os outros shows que já assisti deles! Bruce é o frontman que qualquer banda inveja ter. O cara simplesmente tem um carisma excepcional, e sabe levar o público pra onde quiser! A alegria por estar no Brasil era visível na cara de todos os membros da banda, e foi inclusive comentada por Bruce durante o show. Aqui é um lugar realmente especial para eles, como já falaram em diversas entrevistas.

Os pontos negativos (se é que podemos falar assim):

– Achei o “palco” simples demais… ou melhor, cinza demais, o que o deixou bem “apagado”. O palco da turnê Powerslave continua sendo um dos melhores que já vi!

– O som estava um pouco embolado (pelo menos onde eu estava). Não sei se é culpa do cara da mesa de som, ou do próprio local (foi meu primeiro show no Morumbi). O fato é que com a tecnologia atual, isso não deveria mais acontecer.

– Os telões foram os melhores que eu já vi num show de Metal, com ótima definição! Mas poderiam ser maiores.

– Algumas músicas poderiam ter sido trocadas por outros clássicos. Fear of the Dark, que pra mim não é uma das melhores músicas do Maiden, mais uma vez foi incluida no set list, mas dá pra entender o porque: essa música ao vivo tem um efeito fantástico, pois o público canta todas as “guitarras” e ôôôôs que ela tem 🙂 Mas por mim, poderia ficar de fora.

– Acho que a banda podia escolher umas 5 músicas pra ficar revezando entre os shows, pois saber antecipadamente qual vai ser o set list, tira um pouco da graça.

Vale lembra também que a Mondo Entretenimento pisou na bola novamente! Dois dias antes do show, alguns sites começaram a publicar horários diferentes para o show. O ingresso, o próprio site da Mondo e da Livepass, informavam que o show começaria as 21h30 (não dizia explicitamente se era o show de abertura, ou o do Maiden). Os sites começaram a divulgar 19h15 para o Cavalera, e 21h30 para o Maiden. Depois, 19h30 para os Cavalera, e 21h para o Maiden. Acredito que muita gente que confiou no horário oficial (21h30), e resolveu chegar em cima da hora, acabou perdendo parte do show. Eu liguei na Mondo na véspera do show para confirmar o horário. Quando perguntei para a atendente, ela me deixou uns 5 minutos aguardando (provavelmente foi perguntar pra alguém), e voltou dizendo que a banda de abertura começaria  a tocar 21h30, e o Maiden as 22h30, informação totalmente furada em relação ao que realmente aconteceu (19h20 e 21h)!

Enfim, ir a um show do Maiden é sempre garantia de satisfação! Essa é minha banda do coração, e uma das poucas que ainda conseguem me tirar de casa!

O público presente, segundo Bruce, foi de 55.000 pessoas. veja mais fotos do show.

Up the Irons!