Versão correta p/ velhos ditados populares

Recebi hoje por email:

E a gente pensa que repete corretamente os ‘ ditos populares’
Dicas do Prof. Pasquale:

No popular se diz: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bichocarpinteiro’ “Minha grande dúvida na infância… Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???” Correto: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro’ “Tá aí a resposta para meu dilema de infância!”  EU NÃO SABIA. E VOCÊ?

Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.’ Enquanto o correto é: ‘ Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.’ “Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão se ela está embaixo dele?”

‘Cor de burro quando foge.’ O correto é: ‘Corro de burro quando foge!'”Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge??? Qual cor ele fica??? Porque ele muda de cor???”

Outro que no popular todo mundo erra:’Quem tem boca vai a Roma.’ “Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar!”  O correto é: ‘Quem tem boca vaia Roma.’ (isso mesmo, do verbo vaiar).

Outro que todo mundo diz errado, ‘Cuspido e escarrado’ – quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.O correto é: ‘Esculpido em Carrara.’ (Carrara é um tipo de mármore)

Mais um famoso…. ‘Quem não tem cão, caça com gato.’ “Entendia também, errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que o bicho tá de bom humor!”  O correto é:’Quem não tem cão, caça como gato…. ou seja, sozinho!’

Vai dizer que você falava corretamente algum desses?????

Associação de defesa do consumidor?

Já há algum tempo, ouvia falar sobre a Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor). Consultando o site, fiquei bastante interessado nos testes e comparativos que costumam fazer, e decidi me associar (não é gratuito), para receber, entre outras coisas, as edições das revistas ProTeste.

No entanto, ao iniciar o processo de assinatura, estranhei o fato de só haver uma forma de pagamento: débito em conta. Nem boleto, nem depósito, nem cartão de crédito. Com a “pulga atrás da orelha”, decidi consultar o ReclameAqui, e me deparei com um grande número de reclamações de associados que não conseguiam cancelar a associação, sendo cobrados anualmente o valor da renovação da assinatura.

Enfim, é muito estranho, controverso, pra não dizer vergonhoso, que uma associação que visa a defesa do consumidor, aparentemente não respeite seus próprios associados. Decidi não me associar, pelo menos por enquanto, até sentir mais confiança nessa entidade.