Guia McGyver para vBlade

A seguir, reproduzo o texto da minha mensagem postada no forum vBladers, sobre como resolver alguns problemas crônicos da motocicleta vBlade. Felizmente, já não tenho mais ela, mas fica registrado pra quem ainda tem esse “pepino” e está enfrentando esses problemas…

Pessoal,

A idéia desse tópico é concentrar num só post, instruções para corrigir os problemas que enfrentamos na vBlade.

Começarei postando os que eu já passei, e quem puder completar com outras soluções que possam ajudar o resto do povo, creio que será muito bem vindo 😉

Acho um absurdo a Sundown não ter corrigido vários desses defeitos ainda, mas por favor, não discutam ou malhem o fabricante nesse tópico (apesar de merecer). O propósito aqui é só o de apresentar as soluções que encontramos, nem que seja através de soluções McGyver 🙂

TAMPA DO TANQUE QUE DEIXA VAZAR GASOLINA

Na primeira “estrada” que peguei com a vBlade, enchi o tanque e quando voltei pra casa, percebi que tinha escorrido gasolina pela tampa, chegando até a manchar a pintura do tanque. Na época, procurei aqui no fórum e vi algumas pessoas reclamando que era assim mesmo, que a tampa não presta e que nunca devemos encher o tanque, pois corre o risco de vazar.

Indignado, fui até a concessionária e contei o que tinha acontecido. Eles trocaram o tanque por um novo, e também a tampa (estava na garantia). Resultado, nunca mais vazou! Ou seja, se sua tampa vaza, é porque está com algum problema… se estiver na garantia, não pense duas vezes, mande trocar! Se não estiver na garantia, verifique a borracha de vedação que fica na tampa, pois aparentemente é de qualidade duvidosa e cheia de “rebarbas”.

Outra coisa, aproveitei o tanque novo e tirei aquela borracha que fica ao redor da tampa, e que deixa a pintura toda amarela pois concentra o “suor” da gasolina. Achei que ficou mais bonito sem ela, além de não manchar a pintura.

BARULHO “TIC TIC TIC” QUE APARENTAVA VIR DO TANQUE DE GASOLINA

Esse barulho começou a me incomodar e exigiu alguns dias de observação até achar onde era o problema. Nas mangueiras de borracha que tem embaixo do tanque, existem algumas presilhas do tipo “borboleta” que evitam que a mangueira solte do encaixe. Várias dessas presilhas estavam com a “asa” virada para cima. Com a vibração do motor, elas batiam no tanque de gasolina, provocando o barulho. Solução: virar as “asas” para baixo.

VELOCÍMETRO QUE EMBAÇA

Esse com certeza é um dos problemas que mais incomoda! Minha vBlade 2007 apresentava esse problema. A solução (já que estava na garantia) foi pedir pra trocar por um novo, que segundo o mecânico, está vindo com um furo (no próprio velocímento) para sair o “vapor” que acumulava dentro dele. Depois da troca, nunca mais embaçou, mas dependendo do angulo da incidência da luz solar, dá pra ver que ainda junta um pouco de “suor” dentro dele, mas não chega a embaçar.

BARULHO DA CORRENTE BATENDO

Para esse problema, existe um post exclusivo no blog.

Vote no seu logo preferido!

Atenção usuários do Firebird! Está aberta a votação para eleger o melhor logo comemorativo do décimo aniversário do banco de dados!

A organização do concurso, que faz parte da campanha MindTheBird, ficou sob minha responsabilidade, e confesso que me surpreendi com a quantidade total de participações (45 artes foram enviadas).

O concurso serve também para agitar a comunidade, fazendo com que mais gente conheça a campanha MindTheBird, e que o Firebird ganhe um pouco mais de exposição.

Se você usa o Firebird, não deixe de votar!

GPS com bom custo benefício!

Desde que adquiri meu PocketPC com GPS, há 3 anos atrás, fiquei fã dessa tecnologia! O melhor é que o preço dos aparelhos vem caindo consideravelmente! Hoje me deparei com uma oferta do Submarino oferecendo um aparelho com tela touchscreen 3.5″ e software de navegação iGo (meu preferido) por R$ 299! Está aí a dica para quem ainda não tem!

Detalhe: Muitas cidades do Brasil ainda não estão navegáveis, e algumas estão mapeadas com erros, então fique esperto. Geralmente os mapas das capitais são os mais confiáveis.

Update 14/03: Aparentemente a promoção do Submarino acabou, mas se você ainda estiver interessado, veja este link.

Brasileiro aceita tudo, e ainda agradece!

Pois bem, já faz algum tempo que o Brasil se tornou passagem obrigatória para grandes bandas e artistas, em suas turnês internacionais. É como se fosse uma mina-de-ouro recém descoberta. É bem verdade que o Rock’in’Rio 1 deu início a tudo, pois os artistas viram que podiam vir para o Brasil sem precisar andar de cipó pelas ruas, nem fugir de macacos e outros animais selvagens.

Mas também é visível que, nos últimos anos, é cada vez maior o número das turnês internacionais que passam por aqui. Infelizmente, o brasileiro, ignorado durante muito tempo por muitos artistas, considera a vinda deles como se fosse um “favor” que está sendo feito. Os shows, feitos geralmente em estádios de futebol (quanto mais gente, mais dinheiro, e dane-se a qualidade do som), organizados por produtores gananciosos, e na maioria das vezes sem ter uma estrutura adequada, tem ingressos cada vez mais caros, e pasmem!, acabam se esgotando em algumas horas, ou dias! Enfim, parece que todo mundo está nadando na grana por aqui.

Agora, felizmente, nem todos no mundo são “trouxas”. A prova é o recente exemplo que aconteceu em Israel, quando o produtor do show do Metallica resolveu enfiar a faca nos preços dos ingressos, gerando a revolta de muitos headbangers, que organizaram um boicote, fazendo com que a banda interferisse e o produtor baixasse bastante o preço! Mas por aqui, que nada! Paga-se o quanto pedem, e ainda enfrentam felizes as filas pra entrar e para sair do local, bebidas com preços abusivos, e todos os outros fatores que deixariam qualquer outro povo revoltado, mas não os brasileiros, acostumados a ser maltratados em quase todo tipo de serviço que lhe é oferecido (especialmente os públicos)!

Por isso estamos onde estamos, com políticos e autoridades que deitam e rolam, enfiam impostos, taxas, cobranças, leis e tudo mais que quiserem goela abaixo do povo, e ninguém faz nada.