Seguro viagem do cartão, funciona?

Apesar de ter viajado inúmeras vezes para o exterior, em nenhuma delas precisei usar o seguro viagem (ou de assistência médica) oferecido “gratuitamente” pelo cartão de crédito, no meu caso, chamado de MasterAssist (Mastercard).

Eis aí que chega um dia que você precisa usar, e fica aquela dúvida: Será que funciona? Será que realmente vão honrar as coberturas?

A boa notícia é que funciona! Mas você deve ficar atento a algumas condições para não “dançar”. A experiência aqui relatada se refere a uma emergência ocorrida nos USA, onde foi necessário a passagem por dois hospitais.

Como obter o seguro?

A primeira coisa que você precisa fazer é verificar se o seu cartão de crédito oferece esse tipo de seguro. Para tanto, ligue para a operadora do cartão ou para o banco emissor e se informe, inclusive sobre as condições e coberturas oferecidas.

Será necessário emitir uma apólice de seguro, o que geralmente é feito de forma online, através de um site específico informado pela operadora do cartão. Lembre-se de fazer isso ANTES de viajar! Se estiver viajando em família, deverá informar o nome do cônjuge e dos dependentes para que estejam cobertos também (geralmente filhos maiores de 18 anos só estarão cobertos se forem estudantes). A apólice geralmente tem validade de 1 ano, mas o período de cobertura é “por viagem” – no meu caso – 60 dias contando a partir da data da ida. É importante lembrar que para ter direito ao seguro, você deve ter comprado a passagem com o referido cartão de crédito. No caso do MasterAssist, é aceito também  a compra feita com milhas geradas pelo programa de pontos do cartão.

Usando o seguro

Se houver uma emergência médica, antes de ir a um hospital ou a um médico, entre em contato com a seguradora pelo telefone informado na apólice (geralmente oferecem atendimento em português e as chamadas são 0800 ou a cobrar) e abra um chamado. Eles provavelmente indicarão hospitais, clínicas ou médicos conveniados que você poderá utilizar, e entrarão em contato com os mesmos para pré-aprovar os gastos. Se não houver tempo para isso, pode ser que você tenha que pagar pelos gastos e depois solicitar o reembolso para a seguradora.

Minha experiência envolveu ambas as situações: reembolso e pagamento direto pela seguradora. Os gastos que eu paguei e solicitei o reembolso já foram ressarcidos (usaram a cotação do dólar comercial + IOF para creditar o dinheiro na minha conta). Os gastos pagos diretamente pela seguradora ao hospital, médicos, etc, até a data desse post, ainda estavam com o pagamento pendente (e olha que já se passaram mais de 3 meses).

Prepara-se para enviar uma batelada de documentos, como: comprovante da compra da passagem usando o cartão (ou pontos), laudo médico, recibos, documentos de identificação, extratos do cartão, apólice do seguro, etc. É um processo chato, mas enviando tudo o que eles pedirem (e estando tudo certo), provavelmente não terá dor de cabeça em relação a aprovação dos pagamentos.

O atendimento

Não tenho o que reclamar do atendimento prestado pela seguradora durante os dias de “aflição”. Os atendentes foram sempre bem educados e se mostraram interessados em ajudar no que fosse possível. Foram inúmeros contatos, via telefone e email, durante e após o desenrolar da situação.

Prepara-se para algo muito diferente do que você está acostumado no Brasil

Diferente do que acontece no Brasil, nos Estados Unidos não existe um “SUS” (seja para o bem, quanto para o mal). Qualquer atendimento de saúde lá é pago. Mesmo que você seja um “americano nativo” e tenha um plano de saúde, sempre há deductibles, co-pays, etc. envolvidos, ou seja, sempre acaba tendo que pagar alguma coisa. Por isso é essencial viajar com um seguro contratado.

Não é a toa que os americanos só vão no médico “se estiverem morrendo”… e até por isso, ficam espantados com o hábito do brasileiro de recorrer a hospitais por qualquer gripe, etc.

Saiba que o custo com saúde lá é ABSURDAMENTE caro! Uma noite no hospital pode custar mais de USD 6.000! O uso de ambulância pode custar USD 1.500! Em suma, se tiver que bancar tudo do bolso, está ferrado!

Outra coisa estranha: você irá receber a conta do hospital, médicos, medicações utilizadas, enfermeiras, uso da sala de emergência, exames realizados, etc. de forma detalhada (e muitas vezes em contas separadas), só que elas começam a chegar geralmente mais de um mês depois da “alta”, e podem continuar chegando até “Deus sabe quando”! Ou seja, não se assuste se 2 meses depois do ocorrido você encontrar uma conta na sua caixa de correio! Observe que, mesmo tendo seguro, eles enviam a conta para você também… parece que é algo do tipo: “vamos mandar a conta pra todo mundo e ver quem paga primeiro!” Aconselho que, sempre que receber uma conta, encaminhe ela para a seguradora e também ligue para quem está cobrando para passar os dados do seu seguro, sempre mencionando o número do “seu caso” na seguradora. O estranho é que você fica sem saber, de antemão, o quanto “gastou”.

Se possível, recorra a um hospital somente em último caso, pois é a opção mais cara de todas. Recomenda-se ir primeiro à alguma clínica de emergência, pois são mais baratas. Mas porque isso, já que quem vai pagar é o seguro? Bom, sempre existe o risco de negarem alguma coisa e, nesse caso, você ter que pagar do bolso… 

Conclusão

Enfim, posso dizer que até o momento, minha experiência com o uso do seguro do cartão foi positiva. Ficarei 100% tranquilo quando souber que todos os pagamentos foram quitados, coisa que não aconteceu até o momento, mas que aparentemente está “dentro da normalidade” (segundo informação da própria seguradora).

Espero que o relato contribua e ajude os que tiverem dúvidas sobre o assunto.

Erro 12029 ao utilizar Delphi com Kinvey

Situação: Servidor de aplicação desenvolvido em Delphi (Berlin), usando o Kinvey para envio de Push Notifications para celulares Android e iOS.

Problema: De uma hora para outra, não foi mais possível enviar as notificações. O erro retornado era “REST request failed: Error sending data (12029). Uma conexão com o servidor não pode ser estabelecida“.

Ambiente: Windows Server 2012 (100% atualizado através do Windows Update)

Para encurtar a história, depois de muito bater a cabeça, descobri que o problema estava no fato do servidor de aplicação não conseguir conectar o Kinvey usando TLS 1.2. Obs: Nas configurações de Internet do Windows, TLS 1.1 e 1.2 estavam ativas.

Aparentemente o Kinvey passou a exigir TLS 1.2 nas conexões (não sei exatamente em que data isso se tornou obrigatório, possivelmente em 04/Setembro/2018). Olhando nas DLLs carregadas pela aplicação Delphi, percebi que ela faz uso do WinHttp para comunicação. Sendo assim, vasculhando a internet, encontrei esse artigo, da própria Microsoft: Atualização para ativar o TLS 1.1 e o TLS 1.2 como um protocolos de segurança padrão no WinHTTP no Windows.

Após instalar o EasyFix do link acima, tudo voltou a funcionar!

Fica a dica, e também a reclamação do “por que” o WindowsUpdate não ter instalado isso por padrão!

Bruce Dickinson – um autobiografia (review sem spoilers)

Capa da biografiaBruce Dickinson, pra quem não é do mundo do Rock/Heavy Metal, é o vocalista da banda Iron Maiden. Mas mais do que isso, é um exemplo de empreendedor multitarefa bem-sucedido. Seu talento como cantor é inquestionável, mas se já não bastasse isso, ele também é um esgrimista profissional, escritor, roteirista, historiador, dono de empresas ligadas a aviação, piloto de vôos comerciais (estamos falando de Boings 747) e, mais recentemente, um palestrante cada vez mais requisitado em eventos das mais variadas áreas (informática, empreendedorismo, etc).

A autobiografia de Bruce, lá fora chamada “What this button do?” (“O que faz esse botão?”) era muito aguardada pelos fãs de todo o mundo, e já se encontra disponível em português, seja em formato impresso ou eBook. Interiormente, existia apenas uma biografia extra-oficial, que focada mais na história das bandas pela qual Bruce já passou do que realmente em informações “privilegiadas” da vida dele.

Ed Force OneNo livro, Bruce aborda períodos de toda sua vida, desde a infância até a luta recente contra um câncer na garganta, do qual felizmente conseguiu se livrar sem deixar sequelas na voz, não antes de travar uma árdua batalha narrada com detalhes no último capítulo da obra. Diferente de algumas autobiografias de outros artistas, Bruce preferiu não falar de temas particulares, como casamentos, separações, intrigas, etc. focando naquilo que é realmente interessante, ou seja, se você espera algo do tipo “Revista Contigo”, vai cair do cavalo! O conteúdo tem muita coisa interessante, passando pela decisão de se afastar do Maiden, de se tornar um piloto (primeiro de aviões pequenos, depois jumbos), de se aventurar com sua banda solo em Sarajevo (quando o país ainda estava em guerra), e assim por diante.

Enfim, seja você um fã do Maiden ou apenas alguém que gosta de ler sobre as experiências de vida de outras pessoas, esse é um livro que não irá decepcionar.

Clique aqui para comprar o livro na Amazon.com.br

R$ 130 de desconto no AirBnb

Através do AirBnb você pode alugar quartos, apartamentos, casas, etc. em qualquer lugar do mundo, diretamente com o proprietário. Na maioria das vezes, sai muito mais barato do que ficar em hotéis.

Obviamente, deve-se tomar algumas precauções, como verificar as características e fotos do local, a localização, segurança e, principalmente, os comentários de quem já se hospedou lá. Tudo isso fica disponível no próprio site. Os melhores proprietários ganham o selo de Superhost, e só isso já pode ser uma boa indicação de que não terá problemas.

Para os que pretendem se cadastrar no AirBnb, use este link para se cadastrar e ganhar R$ 130,00 de desconto na sua primeira estadia com valor superior a R$ 250.

Iron Maiden eBooks (grátis)

O Maiden Croatia disponibilizou todos os livros sobre o Iron Maiden, já publicados por eles, em formato de eBook, gratuitamente!

São vários livros que tratam de assuntos diretamente relacionados a banda, algum de seus integrantes, ou a um album específico!

Os livros estão em inglês. Caso prefira, poderá comprar as versões impressas dos livros a partir do mesmo link. As imagens das capas também estão disponíveis para download gratuito.

Para baixar os livros, entre em www.maidencroatia.com/ebooks/

Observe que na página também há um link de doação para o Teenage Cancer Trust, entidade que ajuda jovens que estão com câncer. Caso tenha possibilidades, faça uma doação de qualquer valor.

Motocada para Gonçalves-MG

Planejado inicialmente como um bate-volta de Piracicaba/Paulínia até Gonçalves-MG, com possibilidade de passar por Monte Verde na volta, através das estradas de terra que cortam a Serra da Mantiqueira.

No fim, devido ao dilúvio que caiu na cidade, as motos, que estavam com os pneus originais (não de cravo) não conseguiram subir os morros, que tinham até 70º de inclinação! Acabamos tendo que voltar pelo único acesso asfaltado, aumentando em 100km o trajeto planejado inicialmente. Pra compensar, passamos em muitos lugares bonitos na região de Santo Antônio do Pinhal, e já estamos planejando uma motocada por lá, com mais tempo pra curtir a beleza da região.

Segue vídeo resumindo o passeio. Gonçalves é uma cidade minúscula, no meio da Serra da Mantiqueira, região linda, com muitas cachoeiras e muito verde. Ótimo pra quem quer fugir da cidade e dar uma relaxada.

 

1 2 3 80