Black Friday “Brasileiro” aparentemente será mais um mico!

Infelizmente, o comércio brasileiro ainda trata os consumidores como idiotas ou pessoas sem cérebro! Nos últimos dias, pudemos observar uma avalanche de anúncios nas mídias on-line, referentes a descontos de até 90% nessa sexta-feira “Black”.

A “Black Friday” tem tradição nos Estados Unidos (é a sexta-feira logo após o feriado de Ação de Graças), onde formam-se longas filas nas lojas, durante a madrugada, para comprar produtos com descontos excelentes. Desde o ano passado, o comércio brasileiro (especialmente o comércio eletrônico) vem tentando trazer a tradição do “Black Friday” para o Brasil, como uma tentativa de fazer o povo consumir. No entanto, o que se viu ano passado foram descontos fajutos, onde os preços eram aumentados na “véspera” da promoção, fazendo com que o o valor final (após aplicado o desconto “negro”) ficasse próximo ao que se praticava nas semanas anteriores. Ou seja, puro marketing pra tentar enganar o consumidor e fazer com que ele gaste mais achando que está economizando por causa do “super desconto”.

A matemática é simples: Imagine um produto que costuma ser vendido a R$ 1.000. Na Black Friday, anunciam que o produto está com 50% de desconto, só que na véspera, aumentam o preço do produto pra R$ 1.800, ou seja, o preço final será R$ 900, um desconto real de 10% em relação ao preço praticado “normalmente”. Não duvido que haja casos onde o preço final fique igual ao preço “normal” do produto.

Infelizmente, tudo indica que esse ano a palhaçada se repetirá. Quer ver? Entre em http://www.jacotei.com.br e procure um produto eletrônico, por exemplo, tablets, celulares, TVs, etc. Depois, clique no botão “Gráfico de preços” e observe que nos dias que antecede a “Black Friday”, os preços sofrem um aumento absurdo, vide exemplos abaixo:

 

 

NÃO SEJA TROUXA, CONFIRME SE REALMENTE ESTÁ PAGANDO MENOS ANTES DE COMPRAR NA BLACK FRIDAY!

Deixe uma resposta